Halls apresenta: O fim do Orkut

halls

O QuE DiZEr DeSsA ReDE SoCiAL QuE a GeNTe CoNSIdERa PaKAS ? ReSuMIMos EsTEs 10 AnOS De MuITa ATiTuDE Em Um ÚLTimo DePOIMeNTO.

O Orkut finalmente “morreu” dia 30 de Setembro. Alguns nem se lembraram da data, outros fizeram o login para o ultimo adeus. E teve quem se despediu em grande estilo.

Aproveitando a oportunidade bem pouco explorada pelas outras marcas, a Halls criou uma série de posts dizendo adeus a precursora das redes sociais no Brasil, além de um depoimento exclusivo: para agradecer os 10 anos de histórias e emoções que o Orkut proporcionou aos brasileiros, a Halls realizou os desejos de três comunidades.

Para representar os integrantes, os criadores das comunidades foram escolhidos para realizar três desejos: eu quero pular do palco, eu quero um beijo de cinema e não mergulho com estilo. Confira o resultado:

Citroën – O video case mais fail do ano.

Uma ação no Instagram, 26 milhões de usuários atingidos.
Sucesso? Não, apenas um errinho na conta.

A Citroen criou uma ação envolvendo o app Instagram, onde a ação baseava-se em um seeding(isso mesmo um seeding) na rede social.
Para divulgar a câmera de ré do novo C4 Lounge, faziam a identificação de photobombs em fotos de celebridades e influenciadores, lá eles postavam um comentário com algo do tipo: “Evite imprevistos. Conheço o novo Citroën C4 Lounge com câmera de ré”.

Até aí já estava bem #FAIL, mas não contentes, acharam a ação genial e criaram um vídeo case onde mensuravam os resultados da ação intitulada como GUERRILHA!
Um vídeo case para a inscrição em Cannes, isso mesmo Cannes.

Não entendeu até agora?
Então vamos a melhor explicação que encontrei, ela foi dada pela Marina Bonafé, especialista em mídias sociais.

“Existem hoje 200 mi de usuários ativos no mundo, sendo o Brasil responsável por 5,6%, que equivale aproximadamente 11 mi. Ou seja, o case impactou não só usuários daqui como também de outros países uau a rede mundial de computadores é mesmo fantástica!!!

A ação consistia no seguinte: ao encontrar photobombs (lembra aquela foto famosa da menina tirando selfie no espelho e aí aparece a tia dela sentada no vaso atrás? Isso é uma photobomb) engraçadinhas em perfis de celebridades brasileiras (Roberto Justus, Luciano Huck etc), um perfil interagia falando sobre a nova feature do carro X com uma câmera traseira que evita esse tipo de surpresa acidentes etc .

Até ai, ok.

Até que sai a matéria falando do impacto de 26 mi de usuários. Como isso foi calculado? A soma dos seguidores dos perfis que tiveram comentários. Ou seja, se o Luciano Huck tem 1,3mi de seguidores no instagram, então o meu comentário na foto dele impactou 1,3mi de seguidores no Instagram.

SÓ QUE NÃO.

Primeiro que Instagram não é que nem Facebook que quando você comenta em um post aparece na timeline das pessoas que já comentaram aquele post.

Ah mas o instagram mostra quando seus amigos curtem uma foto ou segue alguma pessoa nova” sim, mas não quando comenta. E o perfil da ação tem 4 seguidores, o que significa que ainda que ele curtisse a foto de uma celebridade ele impactaria no máximo 4 pessoas que se por acaso clicassem em “news” na aba do Instagram (quem clica lá? risos) veria que ele curtiu a foto.

Como se não bastasse, publicam um vídeo-case mostrando o SUCESSO e o alcance de todas essas pessoas (imaginárias) e no próprio vídeo eles editaram a quantidade de likes das fotos pra 1945, já que a quantidade real era 0 (ainda dá tempo de conferir no perfil)”

Viu como a ação foi genial? Nem eu.

Veja o vídeo case.


Eai, o que achou?

@MikeBigode.

10 filmes para você repensar a interação digital

thesocialnetwork
Que o mundo real e o mundo digital hoje são a mesma coisa ninguém tem dúvida, né? Espero que tenha balançado a cabeça afirmativamente. Se não, tudo bem, há ainda quem divida vida real e vida digital. A experiência do usuário com o mundo digital, em especial com as redes sociais, se tornou para muitos um hábito, graças a interatividade, praticidade, colaboração e comodidade que proporcionam. Porém como em qualquer interação, seja ela online ou offline, há o modo certo e errado de fazer isso, e também as boas e más intenções. E aí cabe o que muitos pais costumam perguntar: Você tem feito isso certo? Sabe os riscos? Mais uma vez espero que tenha balançado a cabeça afirmativamente. Se ainda ficou indeciso, sem problemas, confira a lista dos filmes que definitivamente farão você repensar o modo como interage com o mundo digital.

Truman Show (1998)18459084.jpg
Convenhamos que a sensação de estar sendo espionado na internet é quase que idiota. Porque você realmente está. Porém tudo o que nos acompanha (anúncios, remarketing, sugestões e até perguntas do Facebook “você já viu esse filme?”), é resultado de nossos likes, páginas de interesses que seguimos, do histórico de navegação, de buscas, dentre outros. Nesse filme Truman Burbank é acordado de uma realidade, ao descobrir que a sociedade que vive é na verdade uma novela, com cenários e personagens escolhidos, na qual ele é o principal.

Mensagem Para Você (1998)mensagem
Quem nunca soltou a frase “que mundo pequeno”, ao conhecer alguém que é mais próximo do que imaginávamos? Com a era digital isso se tornou uma realidade ainda mais frequente. É comum você conhecer alguém nas redes sociais e posteriormente descobrir que esse alguém mora do outro lado da rua, ou até mesmo no apartamento ao lado. Extremamente romântico, esse filme mostra a história de duas pessoas que iniciam um relacionamento pela internet de forma anônima.

Menina Má.Com (2005)menina
Conhecer alguém pela internet pode ser algo bom, e já rendeu muitos casamentos mundo afora. Mas ao contrário do filme anterior, em Menina Má um homem (32) com comportamento duvidoso, e uma adolescente (14) marcam pela internet um encontro. Porém tudo muda quando a adolescente (que geralmente seria a vítima) passa a conduzir uma série de jogos psicológicos acusando-o de pedofilia.

Us Now (2009
usnow
Definitivamente esse é o modo ‘expert’ das redes sociais. Mas não é apenas isso. O documentário mostra a diversidade de possibilidades do mundo digital como engajamento, colaboração, segurança e administração pública. (Ou seja, o bom uso).

A Rede Social (2010)thesocialnetwork
Como começou a maior rede social do mundo? O que motivou sua criação? E que proporção tomou? (essa pra você que viu esse post no Facebook será fácil responder). Esse filme baseado na verdadeira história de Mark Zuckerberg e sua criação, o Facebook, responde essas e outras perguntas de um modo simples e objetivo.

Catfish (2010)
catfish
Já se apaixonou por algum fake do Orkut? Não lembra né? E do Facebook? Talvez nunca tenha acontecido com você, mas com certeza você conhece alguém que já. O que explica? O desejo de conhecer alguém especial é tão grande que não julga se é real ou não? E o que explica uma pessoa se passar por outra? Aceitação? Carência? Em Catfish você vai conhecer histórias reais de pessoas que se apaixonaram via internet.

Medianeras (2011)medianeras
Nossas interações não são mais as mesmas, ouvi alguém dizer. O filme Medianeras traz um retrato fiel do modo como vivemos e nos relacionamos nos dias atuais, principalmente em grandes cidade.

Desligados (2012)
Disconnect
Como se deligar do mundo ao mesmo tempo em que se está conectado a tudo? A vida íntima que cai na rede, a vida exposta, o cyberbullyingo super uso das tecnologias por muitas vezes negligente, é o que esse filme aborda sobre o olhar das plataformas como Facebook, Twitter e da mobilidade propiciada por smartphones e tablets.

Estagiários (2013)
osestagiarios
Tido por muitos como a Skynet (Exterminador do Futuro) ou VIKI (Eu Robô) o Google sem dúvidas é hoje o maior detentor de dados do mundo. Baseado em que? Simples, pesquise no Google. Nesse filme o Google serve de cenário para uma “comédia” estrelada por dois estagiários.

Her (2013)
Her
Cansado de ver filmes de batalhas entre humanos e máquinas pela dominação do mundo? Em Her você verá totalmente o oposto. Homem se apaixona por software inteligente. Isso mesmo, o personagem se sente atraído por Samantha, nome do seu Sistema Operacional. Confesso que faltam palavras para descrever esse filme, que é uma mistura de futurismo e presente, além de ser um filme excelente.

Mas se você ainda acha que não há nada demais com o mau uso: Takethislollipop

Por: Fê Mendonça

Papa 2.0

Há aqueles que acreditam que seja o tal apocalipse, o fato é que, minha gente, o Papa renunciou.

Independente da religião de cada um, vale a pena relembrar alguns do grandes avanços da Igreja Católica na era digital, com Bento XVI.

Em seus oito anos de papado, Bento XVI criou uma conta no Twitter, coordenou a abertura de páginas da Santa Sé no You Tube e no Facebook e autorizou a criação de um site feito para o o catecismo da juventude, o YouCat.

Por outro lado, o que marca o convencionalismo, os comentários nas redes sociais direcionados ao Papa não são respondidos ou publicados. Mesmo assim, a atuação – até que revolucionária – de Bento XVI aproxima a Igreja dos internautas e, consequentemente, dos jovens.

Tá afim de seguir o Papa? O twitter dele em português é @Pontifex_pt

images

@_hrdias

#SocialMedia – O que os usuários querem nas redes sociais?

Ousadia ou Realidade?

Ousadia ou Realidade?

O atual momento das redes sociais no Brasil, ampliou as matrizes de conteúdo para um formato mais dinâmico, interativo e até mesmo divertido.

O público busca encontrar nas marcas de apreço uma identificação quase íntima. Isso faz com que o posicionamento das mesmas seja cada vez mais real e humano.

Nas redes sociais deve haver um estreitamento de relações entre marca e cliente, ele deve ser atingido de forma humana e natural. Para que isso ocorra é necessário descer um degrau da superioridade onde a marca se encontra e chegar próximo ao patamar de relacionamento “afetivo” com o cliente.

Em uma busca constante por conteúdo atrativo, os usuários “pulam” de canal em canal para que suas necessidades de interatividade sejam supridas.

O usuário presente atualmente nos canais sociais de marca, busca apenas atrativos que agreguem algum valor humano ou material.

No material, buscam ofertas, promoções, concursos, e raramente informações institucionais.

Na base humana, estão em busca de conteúdo interativo,  simplificado e criativo.

A presença de conteúdo institucional é de extrema importância e de forma alguma deve ser excluído de uma matriz, entretanto a presença de um conteúdo “fun” é de extrema importância para a manutenção dos canais.

E a pergunta que fica é: “Até onde o estreitamento de relação com usuário é benéfico para a imagem da empresa?”

.

@mikebigode

#Infográfico – 60 segundos nas mídias sociais!

60 segundos parece pouco certo? Mas no ambiente digital este 1 minuto é uma eternidade de conteúdo e compartilhamento.
Dê uma olhada neste infográfico e veja o que acontece a cada 60 segundos nas redes sociais.

.

@MikeBigode

Redes Sociais nos pés

Em meio ao crescimento e a febre das redes sociais, a designer Lumen Bigott criou alguns tênis conceito inspirados nas redes sociais mais famosas

E ai, qual deles tem mais a cara de vocês?

Qual vocês usariam?

@rossitorenan

#Infográfico – Redes Sociais em forma de Cupcakes!

O artista, planner, criativo, publicitário, entre outros, Fabio Rex criou um infográfico pra lá de dinâmico para explicar as redes sociais no Brasil.

O diferencial é o comparativo destas redes com CupCakes! Isso mesmo, e se estas redes presentes no Brasil fossem Cupcakes?

Dê uma olhada!


@MikeBigode

Pepsi foca atuação nas mídias sociais

Ampliar sua atuação nas redes sociais. Com esse objetivo, a Pepsi apresentou esta semana sua nova plataforma online, a partir a reformulação de seu site e ampliação dos canais de relacionamento com o público.

Para marcar o lançamento, a companhia participou de uma entrevista via Twitter com os seguidores de Meio&Mensagem no microblog.


Durante cerca de uma hora, os executivos da companhia responderam pelo perfil@pepsibr a dez perguntas de seguidores de @meioemensagem, escolhidas pela redação dentre as mais de 30 que foram recebidas – veja todas as respostas abaixo.

Entre as novidades, que levam assinatura das agências Rapp Brasil e Riot, estão o widget com as atualizações mais recentes do Twitter, Facebook, Orkut e YouTube e a quantidade de seções disponíveis – agora são três: produtos, promoção e diversão.

“Pretendemos que os usuários diminuam o número de cliques para saber o que a marca está fazendo”, explica Luciana Fortuna, diretora de marketing dos refrigerantes Pepsi no Brasil.

Acompanhe as perguntas dos usuários:

@CamilaPassatuto: a @pepsibr trabalha muito bem o b2c, mas o que eles pensam em atingir em totalidade os stakeholders na rede?
Resposta
Pepsi tem como foco o consumidor. Os stakeholders são impactados indiretamente e são disseminadores da mensagem da marca.

@ama_aline: qual foi o pensamento para mudar o logo da marca? E por quê?
Resposta
Pepsi é uma marca jovem, conectada aos valores contemporâneos e evolui com o tempo. Olha só: http://on.fb.me/jRIBYj

@_gabymidori: Nos EUA a marca teve sucesso nas mídias sociais, mas perdeu o 2º lugar para Diet Coke. Qual foi o aprendizado?! Vão continuar investindo no digital mas aumentar a verba para também estar nos meios tradicionais?!
Resposta
A estratégia da @pepsibr é trabalhar de forma integrada on e offline construindo a mensagem da marca.

@Hilreli: Como a @pepsibr percebe cada vez mais a ideologia presente nos comerciais, até deixando, às vezes, o produto em “2º plano”?
Resposta
A escolha de ter uma mensagem mais emocional ou focada em um produto depende da estratégia de cada campanha.

@danielaceneviva: a @pepsibr está repensando sua estratégia digital? Vai investir mais nessa área o voltar a anunciar no Super Bowl?
Resposta
A @pepsibr está investindo em digital. Como exemplos, a reformulação do site e os canais sociais da marca.

@Hilreli: @pepsibr As mudanças são apenas nos canais sociais ou vcs pretendem investir em novos produtos “alternativos” tb?
Resposta
As mudanças acontecerão em todos os pontos de contato com os consumidores acompanhando as tendências digitais.

@byjairothe: qual a posição da @pepsibr em relação a blogs brasileiros para ações pontuais?
Resposta
Os blogs serão parceiros da @pepsibr em várias ações. Nós acreditamos no poder de influência destas novas mídias.

@pativi: Qual é o pior erro cometido pelas empresas nas mídias e redes sociais?
Resposta
Não estabelecer um diálogo com seus consumidores e não produzir conteúdo relevante para estes canais.

@Hilreli: De que forma vocês pretendem atrair o interesse do público a utilizar esse novo canal?
Resposta
Além do layout, o site também conta com um widget com um feed dos canais oficiais da marca. O site também terá 3 seções: produtos, promoções e diversão. Lá, serão encontradas todas as ações da marca.

@nathaliatercero: Quais são as novidades do site? As ações em internet estão alinhadas com a campanha pode ser?
Resposta
Sim, todo o novo visual está atrelado à campanha #PodeSer que tem repercutido de forma muito positiva.

Fonte: Meio e Mensagem