O corpo é meu, e eu faço o que eu quiser com ele ;)

O trabalho da mineira Carol Rosseti viralizou nas redes sociais, pela sutilidade e beleza ao se tratar de um tabu: o feminismo. Com uma linguagem informal, de amiga para amiga, Carol postou em sua página no Facebook mensagens de apoio para as mulheres que querem sair do padrão imposto pela sociedade e viver bem consigo mesma.

Denominado “Mulheres”, casa mensagem é direcionada a uma mulher, sendo algumas reais ou não, que faz o público-alvo se identificar mais com cada peça.

Com o sucesso do projeto, temas como homossexualismo e racismo estão sendo adicionados a coleção, além da ajuda de tradutoras para o espanhol, inglês, italiano e russo. Com qual você se identifica?

9275_621272551325625_3475184472042350234_n

Obs. essa é a Mayra Vinhal Viamonte Avila Dutra e quem quiser conhecer mais sobre diversidade de gênero, passa na página dela! http://trans.parencia.com.br/

1607089_614903915295822_4148731097382987236_n

“Aline é bissexual, mas muitos dizem pra ela que isso não existe, e que ela ainda está confusa.
Se ela não corresponde ao conceito deles é porque o amor de Aline é maior que o rótulo. Sua orientação não precisa da aprovação de ninguém, Aline!”

1924350_621848647934682_5085008826520947007_n

10428568_612508818868665_5605868426300717408_n

10430847_615531098566437_1809398807467172990_n

10433089_607627039356843_8578679951548815492_n

 

“Elena tinha medo de usar salto alto, porque todos diziam que ela muito alta. Mas ainda sim ela calçou seus Louboutins e nunca mais quis tirá-los! “

 

10435031_616207545165459_8141112574891733860_n

10458018_615863265199887_6855075681600663467_n

10468372_614903935295820_5063859107963331643_n

Camila e Patrícia escutam algumas coisas quando saem juntas. Depois de um ano, elas se tornaram experts em ignorar essa porcaria. Isso ai, garotas. Foda-se.

10474685_624442417675305_6459356218984849930_n

10478598_610504929069054_4082948995858523171_n

10487286_619649521487928_998498815135244850_n

10487301_616208245165389_5295624831932068694_n

10514608_616832075103006_5918360582417555606_n

10516658_615863281866552_6730740126314814200_n

10517494_614942791958601_5524525415650373254_n

“Clara é engenheira, e está farta de escutar que mulher e matemática “não andam juntas”. Relaxa Clara, quem pensa que gênero determina intelectualidade não pode ter um pensamento lógico.”

10532353_620710388048508_7682405317308758991_n

50 tons de publicidade

Fenômeno mundial, 50 tons de cinza vem excitando conquistando milhões de mulheres e alguns homens curiosos.

Escrito por E. L. James, o livro conta a história de Anastasia Stelle, jovem virgem que conhece o empresário bilionário Christian Grey e, em pouco tempo, começam a viver um relacionamento complicado e embasado em um sadomasoquismo que deixa a protagonista perturbada: Grey exige que ela seja submissa a ele.

Não! Não precisa parar de ler esta postagem e pensar ‘o que isto tem a ver com publicidade?’. A questão é que propagandas em que a mulher foi vista como submissa ao homem e, supostamente, incentivaram a violência sexual, já causaram muita polêmica por aí.

Um recente caso foi a propaganda do homem invisível, da Nova Schin. No vídeo, um grupo de amigos imaginam que são invisíveis e correm atrás de mulheres na praia. Em um trecho, as mulheres são tocada nas costas, o que mais causou polêmica. Internautas consideraram a propaganda como machista e incentivo à cultura de estupro, surgindo até a hashtag #NovaSchinIncetivaEstupro.

Uma outra marca que foi traída por sua mídia on-line foi a de preservativos Prudence. Em formato de tabela calórica, o viral intitulado “Dieta do Sexo” dizia que tirar a roupa de uma mulher queima 10 calorias, enquanto fazer o mesmo sem o consentimento da parceira consome 190 calorias. A peça durou apenas três semanas no ar e foi criticada por milhares de internautas, que alegaram incentivo à violência sexual.

Quem também ficou ‘queimada’ foi a polícia inglesa quando divulgou uma campanha anti-estupro que não conquistou a interpretação ideal. A campanha teve um cartaz distribuído por bares e mostrava uma mulher divertindo-se em uma festa e logo em seguida caída no chão, em aparente sofrimento. “Não deixe uma noite cheia de promessas terminar em uma manhã cheia de arrependimento”, foi interpretado por muitos ingleses como as próprias mulheres, por beberem, serem as grandes culpadas pelo estupro.

Acho que é bom o Sr. Grey pensar bem antes de fazer qualquer propaganda para a Grey Enterprises Holdings INC com a sua ‘filosofia sexual’ e o mesmo teor das propagandas acima.

@_hrdias

Heroínas contra o câncer de mama

No Brasil, o segundo tipo mais frequente de câncer é o de mama, sendo o mais comum entre as mulheres. Embora seja relativamente raro antes dos 35 anos, apresenta acima desta idade uma incidência que cresce rápida e progressivamente, segundo o Instituto Nacional do Câncer do Ministério da Saúde (INCA).

Em tempos de Outubro Rosa, até as nossas heroínas preferidas da ficção convidam as heroínas da vida real a realizarem o auto-exame contra o câncer de mama.

A campanha foi desenvolvida pela DDB Maputo, de Moçambique, para a Associação de Luta Contra o Câncer (ALCC), da mesma cidade. Bem bacana!

Atenção Publicitárias Pobres! Realizem o auto-exame. Ele pode salvar as suas vidas!

(via Comunicadores)

@_hrdias

Axe 2012 celebra o fim do mundo

axe do fim do mundo  Axe 2012 celebra o fim do mundo

Aproveitando o “hype” sobre o mundo acabar no ano que vem, a Axe do México lança uma nova fragrância chamada AXE 2012. E junto com ele um vídeo onde um homem constrói uma arca completa, com todas as mordomias que tem direito para salvar exclusivamente uma parte da população mundial: as mulheres!

Making Of:

Fonte: Comunicadores

VisibleCare: Campanha de Dove é acusada de racismo

A mais recente campanha da marca, para Dove VisibleCare, está sendo acusada de racismo por colocar um antes e depois prometendo melhora na pele. Acontece que a disposição das mulheres – que começa na negra e tem uma latina no meio – não agradou a audiência.

Fonte: Brainstorm9

 

L’Oreal lança livro para mulheres com cabelos cacheados

A L’Oreal Paris lançou um livro voltado para as consumidoras com cabelos cacheados. A publicação intitulada “Orgulho dos Cachos” dá dicas para cuidar dos fios, orienta em relação aos cortes mais apropriados e conta segredos de especialistas. A primeira edição chega às livrarias com 30 mil exemplares e custa R$ 19,90.

Fonte: Mundo do Marketing

BOA!Bem segmentado, atingirá um público bem específico e tem grandes chances de sucesso!