Nova campanha da Adidas tem “imagem de protestos”

Mesmo que por alguns segundos no vídeo, a marca de materiais e roupas esportivas Adidas resolveu mostrar um pouco o que, provavelmente, acontecerá no Brasil durante a Copa do Mundo. A marca é uma das patrocinados oficiais da Copa e decidiu colocar um pouco dos protestos brasileiros que foram notícia no mundo no ano passado. É praticamente certo que haverá manifestações durante o evento e a Adidas sabendo disso, decidiu abordar um pouco o tema.

No filme, o craque argentino Messi está sonhando. O curta é embalado por uma música criada pelo rapper mundialmente conhecido Kanye West. Além de Lionel, o filme conta com Daniel Alves, Xavi e Schweinsteiger.

O título do vídeo é “O sonho de Messi na Copa do Mundo” e foi lançado com exclusividade no intervalo da final da Liga dos Campeões que ocorreu no sábado último (Real Madrid x Atletico de Madrid). Um dos fatores mais bacanas é que o comercial foi dirigido pelo cineasta brasileiro Fernando Meirelles e cp-dirigido por Cassiano Prado. A campanha faz parta da comunicação global da Adidas para a Copa “Allin or nothing” (Tudo ou Nada no Brasil).

Veja o vídeo:

@igorvilarim

O jeito certo de vender Copa do Mundo

 

Teoricamente, vender Copa do Mundo deveria ser muito fácil. Todo mundo ama futebol. Brasileiro troca hospitais por copa. Pronto.

Mas o que eu ando vendo na TV três meses antes da Copa do Mundo é uma avalanche de comerciais iguais, usando algum trocadilho com o técnico da seleção ou, pior ainda, pessoas na rua pintadas de verde e amarelo, com bandeiras e entoando um canto em comum. Já deu né galera, já enjoei da Copa antes dela começar de tanta coisa igual e sem graça.

Eis que surge a magnífica da publicidade esportiva: Nike. O comercial da campanha “Arrisque Tudo” possui a receita básica do sucesso: ótima produção, jogadores famosos e… E alguém sabe o essencial? Eu conto: humanizaram a coisa. Sim, humanizaram a Copa.

Acho que os profissionais de publicidade, marketing e empresários que veem criando e aprovando essas campanhas estão esquecendo que ninguém vai encontrar o técnico no avião ou montando a lavanderia da sua casa (apesar de eu não tirar o mérito das piadas, que são engraçadinhas), e nem sair às ruas num protesto pró-copa. No máximo vai ter contra, mas isso é história para outro post.

O que vai acontecer é a mesma coisa que em todos os outros anos: o torcedor vai assistir aos jogos no sofá de sua casa, na TV minúscula do boteco com os amigos ou no telão do shopping. Na realidade, não importa onde eles vão assistir, mas sim o que se passa na cabeça deles.

Afinal, o que os fanáticos por futebol querem? Eles querem ser o jogador do momento. Ou vão mais fundo: querem jogar lado a lado do seu ídolo. E se você, um simples jogador de pelada desconhecido, fosse responsável pelo pênalti decisivo da Copa do Mundo? Aposto que muitos brasileiros desmaiariam de emoção só de pensar na hipótese.

Estou aqui só falando de Brasil, pois há outro conceito interessante; brasileiro acaba por pensar que só nós e os argentinos somos fanáticos por futebol certo? Bom, se você não for um fanático e nem ficar pesquisando sobre o que acontece no esporte pelo mundo, deve pensar mais ou menos assim.

É ai que a Nike entra com a maestria da pesquisa, planejamento e sensibilidade. Primeiro, nos mostram uma pelada de jogadores americanos. Eles falando inglês me causou um choque inicial, confesso. Estes meninos comuns se tornando os jogadores mais famosos do mundo, e a pelada se tornando uma final de Copa, traduziu melhor que mil palavras à emoção do target: o que estou falando desde o começo do texto, o apaixonado.

O carinha que está vendo os jogos por trás da TV se viu neste comercial, de uma maneira que ele não consegue se visualizar nos outros. E é este tipo de propaganda que faz sucesso. Humanizada.

Ai você pode rebater todo meu trabalho de argumentação dizendo “Mas é a Nike, eles tem dinheiro para isso”. De fato, concordo que eles têm verba para esta superprodução, mas a ideia não precisa de tanto assim. Se abrirmos nossa mente para um mundo além da copa, vamos perceber que podemos humanizar tudo o que vemos pela frente. Por exemplo, em uma campanha de hospital podemos contar uma história que faça os olhos se umedecerem, em vez de apenas mostrar os prédios e a aparelhagem.

Lição do dia: Humanizar.

Por Gabriela Araújo

Designer brasileiro recria os escudos das seleções da Copa de 2014

Em Junho receberemos o mundo inteiro na tão discutida  Copa das confederações 2014. Discussões a parte, esse evento, que move milhões de telespectadores a ficarem 90 minutos em frente a uma televisão, trás as seleções dos melhores times de cada pais, para um grande torneio acirrado entre as maiores potencias do futebol mundial.

Vislumbrando isso, o Designer  Leandro Urban, resolveu repaginar os escudos de todas as seleções que vão participar do torneio. As ilustrações seguem o estilo do Flat Design, que em português claro seria algo como “Passar um rolo compressor” no símbolos.

Confira os escudos das seleções:

20140319-170504.jpg

20140319-170510.jpg

20140319-170517.jpg

20140319-170528.jpg

20140319-170534.jpg

20140319-170541.jpg

20140319-170555.jpg

20140319-170601.jpg

20140319-170305.jpg

20140319-170315.jpg

20140319-170323.jpg

20140319-170342.jpg

20140319-170350.jpg

20140319-170357.jpg

20140319-170403.jpg

 

20140319-170420.jpg

20140319-170427.jpg

20140319-170436.jpg

20140319-170443.jpg

20140319-170739.jpg

20140319-170732.jpg

20140319-170723.jpg

20140319-170716.jpg

20140319-170706.jpg

20140319-170654.jpg

20140319-170647.jpg

20140319-170640.jpg

20140319-170633.jpg

20140319-170626.jpg

20140319-170620.jpg

20140319-170612.jpg

20140319-170257.jpg

Ficaram PADRÃO FIFA ou PADRÃO SOBRINHO?

Escrito por: Dennis Silveira

Minigarrafas que fizeram sucesso nos anos 80 serão relançadas pela Coca-Cola

Sucesso nos anos 80, as minigarrafas fizeram sucesso e estão de volta, a partir do dia 15.

mini_cocacola_500

“Minigarrafas de Todo Mundo” é o nome da promoção que trará as miniaturas de alumínio em 18 modelos, estilizadas com referências dos países que já receberam a Copa do Mundo, como Argentina, Chile, Uruguai, México, Estados Unidos, Inglaterra, Alemanha, Espanha, França, Itália, Suécia, Suíça, África do Sul, Japão, Coréia do Sul e os três próximos países-sede (Brasil, Rússia e Catar).

Para garantir a sua garrafa, será necessário juntar tampas de garrafas convencionais e/ou anéis das latas, totalizando quatro pontos, somados a R$ 3,80. E para potencializar a campanha, criada JWT Brasil, a Coca-Cola criou um aplicativo em que usuário faz um cadastro e tornar-se um torcedor virtual, capaz de fazer interações com outros torcedores cadastrados.

O lançamento oficial da promoção acontece dia 15 de janeiro, mas aposto que já tem gente ansiosa para garantir suas garrafinhas colecionáveis, não é?

Escrito por Gabriela Campagnucci