Cyrela lança campanha inédita usando a rede social Instagram

Cyrela | Decora Minha Casa

A construtora Cyrela lançou uma ação inédita, usando a rede social de imagens Instagram para realizar o concurso cultural de fotos #decoraminhacasa.

O objetivo é eleger qual é o “cantinho preferido” que é mais parecido com o seu dono. O vencedor leva uma reforma para transformar um cômodo da sua casa, com móveis planejados de até R$ 10.000.

Para participar, é só postar as suas imagens no Instagram usando a hashtag #decoraminhacasa. As fotos serão automaticamente enviadas para a página da Cyrela no Facebook, onde vai acontecer a votação.

As fotos devem ser postadas até o dia 27 de agosto.

A ação #decoraminhacasa conta com o apoio da Florense Alphaville e dos arquitetos Leonardo Faria e Ana Cristina Quitete.

Acompanhe a Cyrela também nas redes sociais:

Twitter: @cyrela

Facebook: http://www.facebook.com/cyrela

Santa Casa mostra que você tem mais sangue do que precisa

A nova campanha da Santa Casa de Misericórdia de São Paulo recorre a uma linguagem simples e bem-humorada para abordar um tema sério: o da doação de sangue. A iniciativa faz parte do movimento 5%, que tem por objetivo aumentar para 5% o número de doadores no Brasil.

A série de três anúncios criada pela agência Young & Rubicam, responsável pela comunicação da instituição voluntariamente desde 2004, já está em veiculação. As peças também ganharam uma versão em pôsteres, distribuídos pelo complexo hospitalar.

Intituladas “Calvo”, “Barbudo” e “Mulher” mostram uma pessoa de cabeça para baixo, o que faz com que o seu rosto fique vermelho de sangue e com veias sobressaltadas. A assinatura explica: “Você tem mais sangue do que precisa. Doe um pouco”.

A campanha tem criação de Lucas Casão e Guilherme Rácz, sob direção de criação de Flávio Casarotti, Sérgio Fonseca e Rui Branquinho. As fotos são de Brandon Voges, do Bruton Stroube Studios.

Fonte: Ypsilon2

Absolut Atelier, uma casa para transmitir a essência da marca em Estocolmo

No fim do ano passado, a Absolut inaugurou em Estocolmo o que chamam de Atelier, um espaço de 800 metros quadrados com o objetivo de transmitir a essência da marca em diversos cômodos.

Eles explicam assim: “Imagine ser convidado para jantar pela primeira vez na casa de um amigo. Experimentar a atmosfera, a comida, a companhia e a hospitalidade diz muito sobre quem é esse seu amigo.”

Essa experiência multi-dimensional com a Absolut inclui um grande laço com artes, que a marca sempre teve, degustação e ensinamentos sobre o processo de produção da vodka – a Akademi. E é lá que fica o que chamam de a maior tela touch do mundo, onde se navega por conteúdo, ferramentas e a história de propaganda da bebida sueca.

Esse tipo de iniciativa, que insere as pessoas no lifestyle de uma marca, é especialmente útil para produtos com restrições publicitárias, como é o caso de bebidas alcóolicas, mas no vídeo abaixo você vai se impressionar ao saber que a Absolut tem seu próprio Diretor de Brand Education – que explica o Atelier.

 Fonte: Brainstorm9

Quilmes – 6 milhões de garrafas para construir casa

O artesão argentino Rubén ‘Tito‘ Ingenieri usou cerca de 6 milhões de garrafas para construir sua casa, uma oficina de arte e um farol.

Tito mora na cidade de Quilmes, a 20 minutos da principal cervejaria argentina. “Destes 6 milhões de garrafas, pelo menos 100 mil são de cerveja“, disse ele à BBC, citada pela Folha.

O artesão, que não consome bebidas alcoólicas, recolheu as garrafas durante 21 anos. Elas foram encontradas na rua e doadas por moradores ou pela prefeitura local.

Tito diz que sua casa é também um museu, tendo recebido delegações do Japão, da Holanda, da Noruega e do Canadá.

A casa está aberta à visitação pública, com entrada gratuita. O argentino afirma que, às vezes, 40 pessoas percorrem o local ao mesmo tempo.

Com pisos e escadas de madeira, a casa tem um quarto, uma sala de estar, uma sala de jantar, um banheiro e uma cozinha.

É uma casa como qualquer outra, mas com mais cores e iluminação graças aos tons das garrafas“, disse.

Durante os 21 anos em que recolheu as garrafas, Tito diz ter trabalhado 8 horas por dia nas construções à base de ferro, areia, cimento, madeira e cola, para prevenir a umidade. “Soldei cada detalhe destas obras. Estou satisfeito com o resultado“.

Tito é porteiro em uma escola na localidade de Bernal, a 25 minutos de Quilmes. Além da casa onde mora, ele construiu a oficina, onde ensina aos interessados o que aprendeu sozinho, e um farol de 12 metros de altura.

O artesão afirma que se mudará para o farol quando ele ficar pronto, em dois meses. “O farol também tem quarto e sala, mas com mais requinte que a casa-museu, porque é mais alto“, disse.

Nos planos de Tito, está a construção de uma sala de cinema para os moradores locais, dentro da casa. “Quero que muitos vejam que é possível fazer tudo isso sozinho. Com estas casas seria possível resolver problemas dos sem-teto e com criatividade“.

As imagens são do Clarín.com.

Fonte: CCSP