Osama Bin Laden em filme do Estadão

Assista ao comercial criado pela Y&R para divulgar a terceira versão do Estadão Tablet, aplicativo para iPad do jornal O Estado de S.Paulo.

O filme, que chega à telinha no dia 13, faz referência ao assunto mais comentado dos últimos dias: a morte de Osama Bin Laden.

A ação está alinhada com o conceito “As principais notícias do Brasil e do mundo na ponta do dedo” e conta também com anúncios para mídia impressa.

Ficha Técnica:

Cliente: O Estado de S. Paulo

Produto: Institucional

Título: “Bin Laden”

Duração: 3X30”

Direção de Criação: Rui Branquinho, Flavio Casarotti, Sergio Fonseca

Criação: Marina Erthal, Humberto Pacheco, Leonardo Brito

RTVC: Nicole Godoy, Camila Naito

Atendimento/Agência: Sylvia Panico, Alessandro Cardoni, Camilla Braga

Mídia:  Gustavo Gaion, Gabriela Ben David, Rafael Leal, Raquel Mattoso

Planejamento:  David Laloum, Cesar Ortiz, João Gabriel, Fernando Takey

Aprovação Cliente: João Rosas, Renata Ucha

Produtora: Bossa Nova Films

Direção: Luiz Ferré

Direção de Fotografia: Ted Abel

Produção: Equipe Bossa Nova Films

Pós-produção: Bossa Nova Films

Finalização: Bossa Nova Films

Atendimento: Priscila Miranda

Produtora de Som: MCR

Produção: Oswaldo Sperandio, Diego Raso

Atendimento: Rodrigo Prado

Locutor: Rafael Zarella

Fonte: CCSP

Morte de Bin Laden gera 5,1 mil tweets por segundo

Se na semana passada foi difícil para os internautas fugir do Casamento Real, entre a noite de domingo e durante toda esta segunda-feira foi praticamente impossível ignorar a morte do líder terrorista Osama Bin Laden.

A perceptível mudança de foco quanto à cobertura midiática fez com que o tráfego nos sites noticiosos desse um salto, de acordo com o Mashable.

A Akamai’s Net Usage Index, rede responsável por medir o tráfego de importantes portais no mundo e para os quais fornece conteúdo, registrou 4,1 milhões de page views por volta das 23h30 de domingo, enquanto o presidente Obama fazia o pronunciamento.

De acordo com a empresa, o fenômeno representa aumento de 28% no tráfego norte-americano e 24% no mundo, se comparado às médias normais.

Por representar apenas os sites sob a guarda da Akamai, o aumento pode não ter sido acompanhado pelos sites em geral com tanta força, mas nas redes sociais o assunto foi campeão.

Mais de 350 mil pessoas “curtiram” no Facebook a página que anuncia a morte de Bin Laden. E o Twitter registrou seu terceiro recorde de usabilidade do ano.

De acordo com a CNN, 5,1 mil tweets foram enviados por segundo por causa do discurso de Obama. Isso coloca o acontecimento atrás apenas da virada do ano no Japão (6,9 mil TPS)

Fonte: AdNews

Paquistanês narra ataque a Osama bin Laden

O ataque que matou Osama bin Laden foi narrado no site de microblogging Twitter em tempo real por um consultor de informática paquistanês.

Bem antes de a morte do líder da Al Qaeda ser noticiada pela mídia ou confirmada pelo presidente Barack Obama, Sohaib Athar, um morador de Abbottabad, de 33 anos, descreveu em tempo real, no Twitter, o ataque que acontecia a alguns quilômetros de sua casa, informa UOL, citando BBC.

Por volta de 1h da manhã desta segunda, horário local (17h de domingo no horário de Brasília), ele disse no Twitter que um helicóptero sobrevoava a região, algo raro, segundo ele.

Em seguida, ele descreveu “uma explosão capaz de sacudir janelas” e disse: “Espero que isso não seja o começo de algo desagradável“.

Pouco tempo depois, Athar informou que relatos online eram de que os helicópteros que sobrevoavam o local não eram paquistaneses.

Ele então fez a seguinte observação: “Engraçado, mudar para Abbottabad fazia parte da estratégia de ‘ficar seguro’“.

Athar teria deixado sua cidade natal, Lahore, e se mudado para a cidade – que abriga uma academia militar – para escapar da violência.

Em seguida, ele postou um mapa com a localização aproximada da explosão.

Quanto veio à tona a notícia de que Osama bin Laden havia sido morto no ataque, Athar começou a juntar e-mails que estava recebendo da imprensa e se descreveu no Twitter como “O cara que blogou ao vivo o ataque contra Osama sem saber“.

Fonte: CCSP