A vivência da transformação como exercício de criatividade

Atualmente, somos “apedrejados” de informação a todo instante. Seja você andando pela cidade, assistindo alguma programação ou lendo alguma coisa, é bem provável que ao chegar a este texto você tenha passado por outros sites, tenha visto alguma propaganda ou banner publicitário na internet.

Uma pergunta básica a se fazer é: “De quais propagandas ou publicidades você se lembra de ter visto hoje, antes de ler este texto?”. Será que a criatividade dos profissionais atuais estão nos fazendo lembrar de suas criações minutos depois?

Informação nunca pára “A informação nunca pára, mas nem por isso devemos apenas focar em nossa área de atuação.”

Hoje em dia as aulas melhoraram muito em relação a década passado, mas ainda vemos muitas coisas como receita de bolo. Porém, podemos partir da idéia que tirando os conceitos básicos, tudo ainda é novo. Não só para os alunos, como também para os próprios professores. As coisas realmente estão mais rápidas hoje, não apenas no Marketing, mas em todas as coisas. Mas um conceito interessante que tenho percebido é que tudo é vivência da transformação. Ai você me pergunta: “O que é vivência da transformação?”

A vivência da transformação é tudo aquilo que você consegue identificar sendo utilizado para outras áreas e, como foi utilizado. Um grande exemplo disso é o dos projetores: Sabemos que os projetores foram criados para projetar alguma coisa, seja ela uma apresentação numa palestra ou um filme no cinema. Mas mediante as transformações tecnológicas do qual estamos vivendo, estamos vendo os projetores se fundirem aos computadores e dando origem a projeção mapeada. Em muito breve, os projetores serão grandes parceiros dos vídeo-games e irão se fundir em aparelhos para jogos de realidade virtual na sala da sua casa.

E então você pensa, como foi que pensaram nisso? – É simples, volte no parágrafo anterior e leia novamente a primeira frase, “A vivência da transformação é tudo aquilo que você CONSEGUE identificar sendo utilizado para outras áreas e, como foi utilizado”. Ou seja, é apenas o que você consegue identificar.
Porque se você não consegue, dificilmente você poderá usar a sua criatividade para melhorar algo existente ou criar algo inovador. E foi isso que os criadores da projeção mapeada e do projetor como acessório de vídeo games identificaram. Eles não estavam apenas focados em suas áreas de atuação, eles prestaram atenção em como a tecnologia estava se comportando em outras áreas e tiveram a idéia de unir duas coisas (mais ou menos) distintas. E tudo isso foi só um pequeno exemplo.

Alguns livros muito importantes em algumas áreas de estudo passam por várias edições com o passar dos anos. Basicamente isto ocorre porque os ensinamentos e lições que o livro fornece estão ligados a uma cadeia de eventos que está sempre em constante movimento e transformação. Que é a cadeia de informação de massa do mundo de hoje.
Esse cenário estará cada vez mais presente na metodologia. Antes o celular era apenas mais um meio de comunicação que integrava Telefone + Carta (SMS) + Rádio. Hoje, ele já é um sistema massivo de comunicação.

Fórmula de raciocínio criativo“As fórmulas que ajudam no raciocínio para melhorar a criatividade não são ruins. Mas você também deve definir o que é melhor para você quando precisa de inspiração.”

A transformação só consegue ser identificadas por nós, se vivenciarmos ela. Seja nos estudos, no trabalho ou mesmo na decoração que vamos escolher para o nosso quarto. Você deve vivenciar tudo isso, depois identificar pontos de melhoria e associar estes pontos com as coisas que você conseguiu identificar ao longo da sua vida – seja tecnológica ou social.

“Despertar o senso criativo”, “Pensar fora da caixa”. Estas frases totalmente clichês você certamente já deve ter visto em artigos ou livros que tratam do assunto da criatividade. Eles dizem basicamente a mesma coisa e geralmente tentam sequenciar os itens necessários com fórmulas básicas para trabalhar a mente e gerar idéias. E eu não estou aqui pra dizer que tudo isso é errado ou uma grande besteira. Entendo que os conceitos básicos sempre serão necessários, mas dificilmente uma boa parte da teoria fica fixa em nossa mente.

É por isso que nós enquanto alunos, professores ou funcionários de uma empresa, precisamos sempre exercitar a nossa criatividade através de nossas vivências. Mas e o que seria isso?
Bom, muitos profissionais da área dizem que é difícil ser criativo quando você está estagnado na rotina. Pois você fica sem referências de novos ares e de novas vivências. Eles dizem que muitas vezes, a inspiração para algo novo sempre vem de pensamentos e lugares menos óbvios. E que, se você todos os dias faz suas coisas sempre do mesmo jeito (dormir, acordar, escovar os dentes, tomar café, trabalhar,…), fica muito mais difícil alimentar sua mente com novas idéias e liberar mais a sua capacidade criativa.

Vivências“As vivências e análises das coisas que acontecem em outras áreas diferentes da sua, podem ajudar muito na hora de ser criativo.”

A vivência, a experência e a descoberta de novas referências não são ensinadas na graduação. Elas só podem ser desvendadas a partir de você mesmo. Cada novo local que você adentra é sempre como uma onda de novos acontecimentos e referências que podem ser úteis pra você a curto, médio ou longo prazo.
Sabe quando você viaja pra uma cidade que nunca foi e bate aquela sensação de frio na barriga por estar em um lugar desconhecido, mas ou mesmo tempo aquele senso de observação que não nos deixa perder nenhum movimento das coisas que acontecem ao nosso redor? – é basicamente isso que sempre devemos buscar.

É como se o nosso pequeno universo dentro da nossa bolha de conforto se expandisse, e então a gente passa a perceber que o mundo tem muito mais coisa a nos oferecer. As vezes a gente passa a conhecer um local da nossa cidade que nem sabíamos que existia e aquele local nos passa a dar um up em nossas inspirações, pensamentos e idéias. Olhar lugares novos, fazer novos caminhos e viajar para cidades desconhecidas pode ser o melhor remédio. E o melhor de tudo isso é saber que você conheceu ou descobriu novos lugares, hábitos ou idéias por si mesmo e não por histórias ou imagens.

A vivência é quebrar aquele paradigma de que o mundo não é o que imaginamos. Não podemos nos julgar sabedores do que não vimos, mas devemos nos julgar como exploradores e simplesmente ir ver como é.
Viaje mais, faça amizades com pessoas novas e muito mais diferentes do que você, ajude o próximo, mantenha a consciência sempre limpa e absorva tudo o que puder ler e assistir que certamente tudo isso irá lhe dar bons retornos criativos.

E você?! Tem vivido toda esta transformação?
Pense nisso.

Igor Vilarim.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s