A publicidade que vendia pessoas

Me lembro bem da minha primeira aula no curso de Publicidade e Propaganda: todos ainda tímidos, depois ter ter ficado sem um tostão no bolso para evitar que o trote fosse muito forte. Daí entrou a professora, sentou em cima da mesa e perguntou: Quando começou a propaganda no Brasil? O silêncio tomou conta da sala. Daí ela olhou para mim e veio com tudo: Você, aí, sabe me responder? Sem nem imaginar o que eu estava falando, respondi: Na época da escravidão, vendendo escravos!

Ela abriu um sorriso lindo e, para mim, essa resposta garantiu a minha moral com ela pelos quatro anos de faculdade.

Ok, e daí? O que esse momento nostálgico tem a ver com isso aqui? Acontece que, mesmo sem saber o que eu falava, eu tinha a razão. E como hoje, 13 de maio, é comemorado o Dia da Abolição da Escravatura no Brasil, me veio a ideia de trazer para cá alguns destes anúncios que, mesmo sem técnica, persuasão e qualidade alguma, foram os pioneiros nesta arte de comunicar que tanto amamos.

untitled

1880_03_13-cavalo-e-escravos2 1881-29-dezembro-anc3bancio-de-escravo-fugitivo-o-brado-conservador-ac3a7u-1 h0350a1850e  h0350a1876a

Agora para de ficar lendo isso aqui e vai trabalhar, porque você ainda não foi abolido!

@_hrdias

Anúncios

Sobre Helinho Dias

Publicitário não compreendido pela cidade do interior na qual (sobre)vive. Sigam @_hrdias

Um pensamento sobre “A publicidade que vendia pessoas

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s