O Jornalismo imbecil – Quanto vale uma vida?

Quanto vale uma vida? Será o custo de uma boa história? Quando a busca por reconhecimento e audiência será apenas uma consequência e o que realmente valerá é a informação?

Ontem tivemos um exemplo claro do nível de imbecilidade e falta de princípios!
Enquanto uma aluna tentava se manter em segurança em meio a tiros e desespero, um jornalista em busca de um “furo”, apenas pensava em seu próprio nariz.

Obrigado humanidade, mais um exemplo de que vamos de mal a pior!

(Desculpe por desabafar aqui, apenas senti um asco enorme em relação a toda essa história.)

Veja a história na íntegra:
[Todo o texto abaixo foi escrito aqui]

Amanda usa o Twitter durante o tiroteio

Novamente, um tiroteio dentro de numa universidade norte-americana: a Lone Star College, no Texas. Ao contrário de outras vezes, o tiroteiro de ontem não era um atirador solitário espalhando terror, mas um desentendimento entre duas pessoas que tentaram resolver a disputa à bala.

A polícia ainda tenta manter sigilo dos detalhes e dos nomes dos envolvidos, mas o fato chegou rapidamente à midia por causa de Amanda. A aluna da foto acima se trancou num dormitório ao lado do corredor onde aconteceu o tiroteio. Sem sinal no celular, ela usou a rede sem fio da escola para espalhar a notícia pela internet, com a intenção de que outros alunos e também os seus pais soubessem dos tiros e da localização exata onde ela estava.

No meio do sufoco, a aluna é assediada pela mídia. Acompanhe a sequência de tweets.

 

Alo todo mundo! Tem um homem atirando na ala Norte da escola. Isto não é piada. Por favor, fiquem em segurança. Estou muito assustada.

 

Estou trancada no quarto 163 do prédio acadêmico.

Por favor, avisem a minha mãe. Não consigo sinal de celular aqui no quarto.

Por favor, avisem todos: não venham para o prédio acadêmico.

 

Na sequência, Amanda recebe um pedido inusitado: uma mensagem do jornalista Justin Lear, editor da CNN, que pede fotos do tiroteio.

 

Jornalista: “Você tem algumas fotos do que está acontecendo na escola para compartilhar com a CNN?

Amanda: “Não, porque não posso pensar em tirar fotos enquanto minha vida está em risco”

 

Justin insiste e recebe de volta uma saraivada de tweets tão rápida quanto a ansiedade dele pelo furo jornalístico.

 

Jornalista: “Se estiver interessada em falar com a CNN, por favor me diga como posso contatá-la.”

Romancia (amiga de Amanda):  “Amanda, por favor, fique em segurança. Sua vida é mais importante que os índices de audiência da CNN.”

No final do sufoco, Amanda encerra a transmissão com uma frase conhecida.

 

Amanda: “A gente nunca imagina que essas coisas vão acontecer com a gente.”

@Mikebigode

Anúncios

Sobre MikeBigode

Publicitário, Social Media, Rockeiro, Fundador e editor-chefe do Publicitário Pobre! "Follow me and break rules!" ~ @MikeBigode ~

2 pensamentos sobre “O Jornalismo imbecil – Quanto vale uma vida?

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s